RESUMOS HISTÓRICOS


  Sendo o Brasil parte integrante do processo evolutivo de uma sociedade mais ampla, urge a necessidade de recuar no tempo e encontrar a Europa do século XV, com a Inglaterra dos Henriques (1399 a 1509) distraída com intrigas palacianas, envolta nas lutas religiosas e nos gritos da Torre de Londres, embriagando-se nas tavernas; Espanha e Portugal empreendendo o Ciclo das Grandes Navegações, colonizando e dominando o mundo de então; a Itália despontando com o desenvolvimento das artes e das ciências.

  O desprestígio inglês naqueles idos pode ser percebido na fala de Carlos V (Espanha) ao afirmar falar com Deus em espanhol, com as mulheres em italiano, com os homens em francês e com seu cavalo em alemão.

  Ao sair do torpor lúgubre, diante da conquista do México (Cortês) e do Peru (Pizarro), os ingleses se deparam com uma Espanha dona da América e de suas riquezas, dona da Igreja Católica (Papa Alexandre VI), e dona de quase todo o Atlântico e da Europa.

  Os monarcas ingleses Henrique VIII (1509-47) e, destacadamente, Elizabeth I (a Rainha Virgem) iniciaram expedições com a finalidade de superar o tempo e o desprestígio perdidos.

  Nas costas brasileiras destacam-se as investidas dos corsários ingleses Hawkins, Drake e Cavendish, este último sob o ataque dos portugueses na Ilha de São Sebastião (Rio de Janeiro), foge deixando em terra Anthony Knivet e Henry Barraway.


   

Você está em RESUMOS HISTÓRICOS